Buscar

As ações do Banco BMG (BMGB4) despencaram! O que fazer?

Atualizado: Mai 2



O mercado apresentou reação negativa frente aos resultados divulgados pelo Banco BMG referentes ao 4T19/FY2019, impactando fortemente as ações BMGB4. Neste artigo buscamos entender os fatores que motivam tal derrocada no preço das ações, bem como avaliar se as perspectivas de negócio do Banco tendem a ser positivas ou negativas.

Introdução

O Banco BMG (B3: BMGB4) divulgou na última quinta-feira, 13/02/2020, os seus resultados referentes ao ano fiscal de 2019. Dentre os destaques, o banco apresentou:


  • Aumento no lucro líquido recorrente (344MM em 2019 x 258MM em 2018);

  • Aumento no ROAE recorrente (12,5% em 2019 x 10,8% em 2018);

  • Crescimento geral da carteira de crédito, com inadimplência estável;

  • Evolução dos clientes ativos, meio físico e digital (tendo este último crescimento relevante).


Contudo, mesmo com o Banco apresentando evolução nas principais linhas de negócio, o mercado reagiu ao resultado de forma muito negativa, causando quedas na ordem de 16% no valor das ações no intraday.


Como explicar esse movimento? A resposta (como de costuma) pode ser encontrada na demonstração de resultado. Será necessário mergulhar um pouco na contabilidade.


Mergulhando na demonstração

Observando a demonstração de resultado de 2019, podemos extrair os seguintes dados:


Tabela 1 - Extrato da DRE do Banco BMG - Fonte: Release da Companhia (Elaborado por Sharb Investimentos)

Note a linha de “Outras receitas (despesas) operacionais”; houve um aumento de 57% nestas despesas operacionais frente ao ano anterior. Observando os componentes desta despesa, temos:


Figura 1 - Linha de outras receitas (despesas) - Fonte: Release da companhia

Conforme destacado, o componente que mais contribuiu para esta elevação foi a linha de “Outras despesas operacionais”, que cresceu 85%. Acessando a Nota Explicativa 24, vemos a justificativa desta despesa:


Figura 2 – Nota Explicativa 24 - Fonte: Release da companhia

Finalmente, entendemos o grande vilão deste incremento de despesa: provisões para processos tributário, cíveis e trabalhistas. Tal linha de fato acarreta preocupação nos investidores, pois não é fácil projetar impactos materiais futuros, visto que serão conhecidos apenas no momento do fechamento da ação judicial (para isso o provisionamento – passivo contingente), ou seja, tal linha apresenta desfecho incerto; incerteza é o que o Mercado menos gosta.


Em relação às provisões judiciais, cabe ao Banco definir suas estratégias, de modo a minimizar os impactos e maximizar a geração de valor. O Banco se mostrou ciente deste compromissando, delineando suas frentes de atuação que visam mitigar a ocorrência destes eventos no futuro.


Figura 3 – Frentes de atuação do Banco para minimizar o impacto de provisionamento futuro - Fonte: Release da companhia
Perspectivas da companhia

Desconsiderando o impacto das provisões exploradas acima, entendemos que em linhas gerais o resultado do Banco foi positivo, apresentando desenvolvimento em suas principais linhas.


O Banco deixou claro no Release e na Teleconferências que está atuando de modo a diminuir o custo de captação (captações mais caras, muitas pré-fixadas, estão vencendo e sendo substituídas por captações mais baratas – em linha com o atual patamar de juros no país), bem como aumentar o seu número de clientes, capilaridade dos produtos e cross-selling (2020 será o ano no qual estratégia FIGITAL tende a começar a apresentar seus resultados).


Ainda, considerando que a maior exposição da carteira de crédito do Banco é a carteira de varejo, é possível entender que o aquecimento da economia no Brasil tende a ter impacto substancialmente positivo nesta linha de negócio do Banco. Ainda, o BMG tem Basiléia alta, estando capitalizado e capaz de realizar novos empréstimos).


De modo a aumentar o alinhamento com o mercado, o Banco divulgou seu Guidance para 2020:


Figura 4 – Guidance do Banco BMG para 2020 - Fonte: Release da companhia

Considerando que é um Banco de nicho, com expertise e mais de 89 anos de atuação, entendemos que é coerente atribuir credibilidade ao Guidance.


Utilizando a faixa média, é possível estimar perspectivas de lucro do Banco para 2020. Foi considerado, na projeção, um percentual de Participação nos Lucros em linha com o praticado em 2019.


Os valores apresentados estão em R$ milhões.


Tabela 2 – Projeção de resultados conforme Guidance - Elaborado por Sharb Investimentos

Assim sendo, com base na faixa média do Guidance, o lucro líquido de 2020 seria na casa de R$489 milhões, o que representaria um crescimento de 33% em relação ao resultado de 2019 – em linha com a expectativa da gestão da Companhia, conforme Teleconferência de Resultados.


Indicadores fundamentalistas

Com base na projeção apresentada na Tabela 2, é possível calcular os múltiplos projetados para 2020.


Tabela 3 – Projeção de indicadores - Elaborado por Sharb Investimentos

1 - Lucro por ação

2 - Considerando a cotação de R$7,23, vigente quando o estudo foi elaborado


Na faixa média do Guidance, a empresa negociaria a um P/L estimado para 2020 de 8,92, o que representa desconto frente seu múltiplo atual, bem como o múltiplo de outros bancos de porte semelhante.


Quando olhamos o índice PEG (P/L/crescimento), que leva em conta o crescimento do lucro por ação, tal desconto se torna mais evidente, visto que o índice PEG estimado seria de 0,27 (como referência, índices PEG abaixo de 1 são considerados, de modo geral, indicador de desconto na ação).


No múltiplo atual, na casa das 12x lucros, o papel negociaria a cerca de R$9,72, o que representa um incremento de 34% frente à cotação atual. Uma execução assertiva da estratégia, contudo, pode levar o banco a precificação mais em linha com empresas em crescimento (por comparação, Banco Pan negocia a cerca de 23x lucros).


Conclusão

Entendemos que o case de Banco BMG pode ser entendido como um desafio de execução: a estratégia de gestão de passivos deve ser assertiva, de modo a mitigar os impactos nos resultados da empresa. No aspecto micro, o banco conta com experiência e expertise na execução de seus serviços; no aspecto macro, as condições econômicas tendem a apontar na direção de um aquecimento da demanda por crédito, em especial no varejo, duramente impactado nos anos anteriores.


Cabe, como sempre, ao investidor, junto a seus assessores, decidir se tal exposição, bem como relação risco x retorno, faz sentido para sua carteira e estratégia.


DISCLAIMER

Este artigo não tem por objetivo, de maneira alguma, efetuar recomendação de compra ou venda do ativo. Tal recomendação deve ser efetuada por profissional credenciado, conforme perfil do investidor. A eventual tomada de decisão de investimento é de responsabilidade do investidor e seus assessores.

Este artigo visa apenas ilustrar uma visão conceitual/educacional sobre a empresa, seu mercado e suas eventuais perspectivas de negócio.

Fique a vontade para compartilhar nosso site e artigos! Não deixe de nos seguir nas redes sociais!

Abraços, até a próxima, e bons investimentos a todos!


Não deixe de nos seguir no Instagram! @sharbinvestimentos


0 visualização

Renda Variável | Ações

ASSINE E RECEBA AS ATUALIZAÇÕES!

Sharb Investimentos  2020 - Todos os direitos reservados.